Sazonalidades inéditas incentivam o consumo.

As mudanças estão em evidência e implicarão em remodelamento dos negócios. É natural, portanto, que o retorno dos consumidores aos estabelecimentos comerciais apresente novos comportamentos como é o caso do “revenge buying”.

A expressão, que em português pode ser traduzida como consumo de vingança, faz referência ao retorno massivo dos consumidores. A China, primeiro país a retomar o comércio, sentiu na prática o poder do revenge buying: uma loja da Hermès faturou mais de R$ 14 milhões em vendas no dia da sua reabertura.

É importante entender que as tradicionais sazonalidades do calendário terão de ser revistas. Há novas – e relevantes – condições surgindo.

O espaço físico é uma delas. O desafio atual é entender se o número de clientes atendidos por dia, semana e mês cobre todos os custos e ainda gera lucro. Análises pragmáticas, neste caso, geralmente trazem respostas pragmáticas.      

E por falar em respostas, a pandemia trouxe novas preocupações com relação à limpeza e higiene. De agora em diante, a exigência é que os estabelecimentos invistam em sistemas eficientes de desinfecção. A área de exposição dos produtos, por exemplo, vai passar por constantes processos de limpeza.

Por sua vez, a embalagem, independente do substrato que foi impressa, reativa seu papel de protagonista ao ser o elo que instiga o consumidor a consumir com segurança.    

Outro cenário que pode ser encarado como sazonalidade inédita é o crescente movimento de inclusão financeira no Brasil. Pelo menos é o que aponta o estudo do alt.bank, fintech lançada recentemente no Brasil, destacando que aproximadamente 45 milhões de adultos, em idade ativa, ainda não têm acesso a serviços financeiros básicos.

Esse grupo gera cerca de R$ 665 bilhões por ano, não formalmente incluídos nos números atuais do PIB do Brasil. Ou seja, se for bem conduzida a inclusão financeira poderá injetar mais de R$ 400 bilhões por ano na economia brasileira em até cinco anos, analisa o estudo.

Talvez tenhamos alcançado a sazonalidade mais interessante até aqui: a Serasa Experian revelou que a criação de novas empresas bateu recorde no primeiro trimestre deste ano. Dados do Indicador de Nascimento de Empresas apontam que foram registrados 889.003 novos empreendimentos no acumulado dos três primeiros meses deste ano – o maior número observado para o período desde 2010.   

O fato é que novas sazonalidades incentivam grandes mudanças. Vale relembrar que Thomas Edison, um dos maiores inventores do século XX, imortalizou a frase: “Do mesmo jeito que o homem procura a mudança, ele resiste a ela”. É hora de mudar. É o momento certo para conversar com a Ápice e deixar a especialista em embalagens produzir a nova campanha da sua marca.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *