Pensando bem a produção de embalagens está na moda sim! Acompanhe os fatos a seguir

Como recordar é viver vamos retomar aqui dados do relatório Global Packaging Trends 2019. Anualmente, a Mintel, agência de inteligência de mercado, apresenta o relevante estudo sobre a indústria global de embalagens, com foco em tendências do setor. No varejo destaca-se embalagens com adição de chips, códigos e outras tecnologias interativas. A ideia é que a embalagem esteja conectada com o consumidor ampliando assim o marketing pós-venda, tornando o relacionamento cada vez mais corriqueiro.  

Marcas e especialistas do setor estão em consenso: a grande tendência que circunda a indústria de embalagens é a efervescência do comércio eletrônico. Como as vendas globais de e-commerce estão estimadas em atingir US $ 3,8 trilhões até   2021, já é possível imaginar a quantidade e a variedade de embalagens que podem ser impressas. Com o mercado global de embalagens antifalsificação crescendo para US $ 9,4 bilhões até 2023, garantir que seus clientes estejam comprando a coisa real é um grande negócio.

O mundo do varejo online pode estar crescendo em todo o mundo, mas atualmente enfrenta um problema que está causando a perda de bilhões de dólares todos os anos. Seja roupas, bolsas, relógios, joias, perfumes ou alimentos, a internet está repleta de sites que vendem produtos falsificados. No ano passado, mais de 31 mil sites no Reino Unido foram fechados pela unidade de crimes de propriedade intelectual da polícia da cidade de Londres em apenas um mês.

À medida que a qualidade dos produtos falsificados aumenta, também aumenta a dificuldade em diferenciá-los, de modo que uma das principais maneiras pelas quais marcas genuínas combatem produtos falsificados é através de suas embalagens. De acordo com pesquisa recente da Markets and Markets, o mercado global de embalagens contra falsificação crescerá de US $ 5,3 bilhões em 2018 para US $ 9,4 bilhões até 2023.

Outro estudo de mercado, dessa vez conduzido pela Primir, traçou o panorama da indústria global de embalagens impressas até 2020 por meio da participação de 26 países – inclusive o Brasil. Notou-se a partir da pesquisa que, nos últimos 10 anos, a produção de embalagens saltou de 36% para 43% do total do mercado gráfico. E a previsão é que esse deva chegar a 50% nos próximos. O resultado é que metade do que o setor de impressão produzir será embalagem.

Conforme a Primir, avaliando o cenário mundial, o crescimento médio do mercado de embalagens impressas será de 5,2% ao ano até 2020. Vale destacar que no caso dos países emergentes, esta expectativa é maior, chegando em 6% ao ano. Na análise por setor, o mercado de embalagens flexíveis deve crescer 7,6% nos países emergentes; rótulos e cartão com 5,2%; e ondulado chegando a 6,4% nos países emergentes.

Agora vem o desfecho mais do que favorável para a impressão de embalagens. Um grupo de 25 investidores, que administra mais de US$ 1 trilhão em ativos, exige que Nestlé, PepsiCo, Procter & Gamble e Unilever reduzam o uso de embalagens plásticas. A iniciativa foi organizada pelo As You Sow, um grupo sem fins lucrativos formado por acionistas que pressionam as empresas a agir com responsabilidade.

O pedido foi assinado por gestoras de investimentos como Hermes Investment Management, Impax Asset Management, NEI Investments e Walden Asset Management. Os big players prometeram usar mais embalagens recicláveis, compostáveis, biodegradáveis e com maior conteúdo reciclado até 2025.

Agora me diga se a produção de embalagens tem ou não o seu poder revigorado? Venha nos visitar. Somos a Ápice Artes Gráficas.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *