Mudança de hábito

A expressão behavior change, que pode ser traduzida como mudança de comportamento em bom português, viralizou diante da pandemia.

Durante o período do isolamento social, as pessoas criaram suas próprias técnicas para as atividades que estavam em “modo automático”.

A sala da residência virou academia; a sacada ponto de lazer e de encontro mesmo que a distância; as chamadas de vídeos ganharam status de comunicação contemporânea e as lives preencheram nossas noites com shows para todos os gostos…

…sinal dos tempos, caro leitor (a)! Aliás, convenhamos, o ano de 2020 chegou para mostrar que sempre é possível se adaptar ao novo.

E por falar em mudança, que tal colocar em prática o behavior change ao consumir produtos e, consequentemente, embalagens.

Afinal, o Brasil e o mundo não suportam mais a literalmente gigante onda de plástico que polui vorazmente rios, mares e oceanos. E que coloca em risco a saúde de várias espécies.

Ao contrário do plástico, as embalagens de papelcartão são amigas do meio ambiente e a matéria-prima é totalmente sustentável.

O Brasil, por exemplo, conta com 7,83 milhões de hectares plantados de eucalipto, pinus e demais espécies voltadas para a produção de painéis de madeira, pisos laminados, celulose, papel, produção energética e biomassa. Desse total plantado, 36% atende diretamente o mercado de celulose e papel. 

De acordo com o site da Indústria Brasileira de Árvores (IBÁ), o setor tem representatividade de 6,9% no PIB Industrial sendo responsável por cerca de 3,8 milhões de empregos diretos e indiretos.

Outro ponto positivo para as embalagens de papelcartão é que o Brasil figura entre os principais recicladores com uma taxa de recuperação de 67%. EUA (66%) e Canadá (70%) também ostentam bons números de reciclagem. Também é fato que no Brasil 100% da produção de celulose e papel é proveniente de florestas plantadas de eucalipto e pinus.

Resistentes e com capacidade de adaptação a qualquer tipo de produto, as embalagens de papelcartão contribuem para a logística interna.

Leves por natureza, não interferem no preço do frete ou delivery. Outro benefício evidente, quando comparadas com o plástico, é a capacidade de impressão e customização aumentando assim o valor agregado nos produtos. Com tantos dados favoráveis é justo – e compreensível – que escolher pela produção de embalagens de papelcartão é o behavior change da vez.  


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *