Exerça o marketing na embalagem

“Embalagem é a ferramenta de marketing com o menor custo”. Reinaldo Wosniak, CEO da Ápice Artes Gráficas, é o criador da frase que reverbera há 43 anos no mercado de embalagens.  

Gentilmente, pedimos licença ao nosso CEO para usá-la como tema central desse texto.  

A embalagem de fato é uma ferramenta de marketing de baixo custo e alto valor de atração. Afinal, os produtos acondicionados em caixas impressas ficam expostos no PDV ou no ambiente virtual de forma clara e objetiva.  

Quando o marketing é direcionado para embalagens premium o negócio fica melhor ainda. É o que aponta a recente pesquisa do The Paperworker. De acordo com o estudo, 52% dos consumidores disseram que comprariam mais vezes caso recebessem produtos em embalagens premium. E quando a embalagem é bem produzida, 40% compartilham uma foto em suas redes sociais.

O fato é que o marketing e as vendas nunca cessam. Todos sabem que o uso de máscaras é obrigatório para evitar a transmissão do coronavírus. Ao mesmo tempo, a comercialização de batons disparou durante a pandemia: alta de 200%! Os dados foram levantados pela Corebiz e tomou como base o período de 1º de março a 14 de junho de 2020.

Imagine se os fabricantes de batom – e demais produtos de beleza – decidissem esquecer o marketing e as embalagens atraentes por causa da pandemia?

Favorável ao consumo, as embalagens ostentam claramente as premissas de autenticidade e bom conteúdo. Para reforçar há a possibilidade de alinhar parcerias entre marcas e criadores de conteúdos.

Um exemplo desse movimento é o livestreaming que é a ação combinada com influenciadores digitais que utilizam sua rede de seguidores para divulgar produtos em tempo real e com acesso direto para compra.

Promoção, liquidação e outros mecanismos que chamam a atenção dos consumidores são boas opções também. De acordo com o levantamento da Kantar, no mercado de bens de consumo massivo (FMCG), desde o início da pandemia, 2,2 milhões de lares passaram a priorizar os produtos em liquidação.  

Os costumes também estão em transformação. A pesquisa “EY Future Consumer Index”, desenvolvida pela consultoria global Ernst & Young em parceria com VEJA, ouviu 1.134 pessoas a partir de 18 anos para apontar as mudanças. Dentre os entrevistados, 72% responderam que estão mais conscientes sobre higiene pessoal e limpeza e 68% passaram a cozinhar mais as suas refeições.

E por falar em costume, a tradição de escolher o produto por causa da embalagem é comum em qualquer lugar do mundo. Até porque o movimento de abrir a embalagem alimenta o consumo e desperta novas sensações.

Fica a dica: a indústria precisa de embalagens assim como as embalagens conquistam o consumidor.  O marketing nesse caso é fundamental para tudo e todos!    


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *